17 de junho de 2010

Dia 10/06/2010: Impermanência e Eternidade

O dia amanheceu ensolarado dentro do ônibus que circulava pela Unicamp antes de sair rumo a rodoviária. Fiquei observando as cores do céu num prenúncio de dia de sol, e como que passando de uma cidade a outra, poucos minutos depois, já no centro de Campinas, o cenário era outro: o céu cinza escondera o sol e a chuva fina e gelada participava agora do novo panorama.
Assim como o clima muda, muda também a vida: impermanência!
Ontem meu avô faleceu.
Não era jovem, mas não morreu de velhice ou de doença, embora já tivesse seus 79 anos. Foi atropelado por uma moto e morreu na hora.
Assim,..., de repente ele se foi.
Foi como tudo que existe e que é impermanete e eterno:
Matéria impermanente, mutável, que se transforma...
Lembranças eternas que ficam: felizes e tristes também.
A morte é triste mas de repente sorrio ao pensar em minha avò, que faleceu 4 anos atrás, recebendo-o de braços abertos numa outra dimensão!
Que eles estejam em paz!!!
Namaste
Thais

2 comentários:

Vera Lucia disse...

Thais,
Quando aqui dizemos ... se foi!
Do outro lado alguém diz ... bem-vindo!
Meu abraço!

Thais Yoga disse...

:)
Obrigada Vera!!!
É isso mesmo, né!!!
Namaste
Thais