15 de maio de 2009

"Ora (direis) ouvir estrelas!
CertoPerdeste o senso!"
E eu vos direi, no entanto,
Que, para ouvi-las, muita vez desperto
E abro as janelas, pálido de espanto ...
E conversamos toda a noite, enquanto
A via láctea, como um pálio aberto,
Cintila.
E, ao vir do sol, saudoso e em pranto,
Inda as procuro pelo céu deserto.
Direis agora:
"Tresloucado amigo!
Que conversas com elas? Que sentido
Tem o que dizem, quando estão contigo?
"E eu vos direi:
"Amai para entendê-las!
Pois só quem ama pode ter ouvido
Capaz de ouvir e de entender estrelas."
Olavo Bilac (*) Soneto XIII da obra Via-Láctea

Um comentário:

denise disse...

Oi lindaa,,estou amando esse seu espaço,,venho aqui aos poucos para ler os textos.Aproveito e copio os que mais gosto..obrigada bjãooo no S2
Luz e Paz *.*